HomeColunasPolifônicos: falando sobre a Dadalab

Polifônicos: falando sobre a Dadalab

Estive na semana passada participando do evento Sesi Cultura Digital, que foi realizado no MAR – Museu de Artes do Rio. O museu foi um dos primeiros de muitos empreendimentos a serem inaugurados na região, que compõem a revitalização do porto do Rio. Diga-se de passagem, é por lá que será o D-Edge Rio.

MAR - Museu de Artes do Rio

MAR – Museu de Artes do Rio

O Sesi Cultura Digital aconteceu entre os dias 7 e 11 de outubro, promovendo palestras, discussões e oficinas das mais variadas em torno do universo tecnológico. Tive a oportunidade de participar de excelentes oficinas como: Automação residencial com a tecnologia de Arduínos e Criação de Mini-Sintetizadores ministrada pelo nosso amigo Saulo Pais, mais conhecido como DaDa Attack.

MAR - oficina 1

MAR - oficina 2

Bati um papo com o Saulo sobre a experiência dele com arte e tecnologia e trago aqui para vocês em formato de entrevista.

Fala Saulo, beleza cara? Você é DJ, produtor musical, artista plástico e arquiteto. Qual foi a ordem que essas atividades foram surgindo em sua vida e de que forma elas interagem?

Comecei a fazer música por prazer, enquanto já trabalhava com arte e estudava arquitetura, essas experiências em diversas mídias criaram o cenário ideal para o trabalho multidisciplinar que desenvolvemos na DaDaLab hoje em dia.

Assim como você o Gui Boratto também é arquiteto. Vocês por acaso foram colegas de turma? Como surgiu essa grande amizade?

Nos conhecemos através da música, por sermos dois aficionados por sintetizadores e fazedores de barulho, há uns 10 anos. Eu estava fazendo bastante Circuit Bending e após uma matéria no rraurl TV feita pelo Igor Lopes ele me mandou uma mensagem do México onde estava tocando, eu fiquei muito feliz, pois  já admirava o trabalho dele e achava bastante inovador e com uma qualidade inédita. Depois disto tive o prazer de fazer muita coisa com ele, já modifiquei o teclado dele, juntamos nossos lives tocando juntos 2 vezes (D-Edge Concept e na noite mensal DadaLab que acontecia no HotHot) também toquei na Gui Boratto Band, que foi o show de encerramento da última edição do Festival Skol Beats. Toquei na turnê de lançamento do segundo álbum do Gui, o Take My Breath Away, ótimos momentos por esse mundão, um ótimo amigo que admiro como artista e como pessoa.

Lembro que te convidei em 2009 você para tocar no saudoso Drop-Kick, rádio que eu fazia online e você já levou uma parafernalha de equipamentos, já experimentando interações de audiovisual em seus sets. Quando isso surgiu para você?

Sim, era demais o Drop-Kick! Naquele apartamento no centro, muito especial aquela noite, lembro sim da parafernália, um monte de coisa para desmontar rápido e liberar o espaço para o querido mestre Magal que tocou logo depois, lembro especialmente de uma ótima conversa com o Martin Dawson (King Roc) que estava presente e falamos por um bom tempo sobre equipamentos, técnica, música e tudo mais, o sorriso, a humildade e o bom astral desse cara tão talentoso, que nos deixou tão cedo, é o que mais vou guardar daquela noite.

Drop-Kick Radio Show (DaDa Attack, Magal, Martin Dawson e Lennox)

Drop-Kick Radio Show (DaDa Attack, Magal, Martin Dawson e Lennox)

A DaDaLab me parece que foi um amadurecimento desses seus primeiros experimentos. Poderia me contar em que ano você começou a DaDaLab e com qual finalidade?

Sim o DaDaLab é onde todos esses assuntos diversos se juntam e se complementam, arte, eletrônica, música, fabricação digital, modelagem 3D, design, experimentos, aprendizado e diversão acabam se fundindo e formando algo novo e especial. A dadalab começou em 2014 com a vontade de oferecer vivências e produtos que nos façam pensar diferente, realizar experimentos e buscar alternativas, aliando tecnologia, música, educação e o princípio do faça você mesmo.

Além dos mini-synths, circuit bends e toys, você também pensa em fabricar/comercializar  sintetizadores para o mercado? Se sim, quais os tipos de synths que vocês estão fazendo?

Estamos prototipando muita coisa e pretendemos lançar próximo ano um synth já montado, mas por enquanto o foco está nos kits com esse enfoque educacional e experimental, estimulando o usuário a conhecer o synth por dentro e hackeá-lo,  modificando conforme sua criatividade.

synth 1

Qual é a fase mais difícil durante o desenvolvimento do projeto e por quê?

Toda a fase entre o momento que foi decidido, o que vai ser criado e o ponto onde temos um protótipo funcional perfeito exige atenção, pois para chegar nesse ponto, são construídos diversos protótipos, tudo é modelado e remodelado algumas vezes no 3D até achar o encaixe perfeito, depois o mesmo  vale para o corte CNC e o circuito eletrônico que também deve ser testado de todas maneiras antes de começar a ser fabricado.

Poderia citar alguns de seus principais projetos?

Atualmente destaco o MSK-1, que é o Mini Synth Kit que acabamos de apresentar no Festival SESI Cultura Digital. A ideia é ser uma porta de entrada para quem quiser montar ou hackear seu sintetizador, ele vem com um step sequencer, lfo e osciladores e pode ser facilmente modificado com uma barra de conexões que permite interligá-lo com arduíno, eurorack etc. e é construído utilizando componentes que permitem a fácil modificação e experimentos.

synth 2

Eu realmente sou um leigo total no assunto, pois achava que era praticamente impossível criar algo, mas após as oficinas que participei no Sesi Cultura Digital, vi que não é nada de outro mundo e me abriu muito a cabeça para ideias e possibilidades. Você poderia nos dar algumas dicas de como adentrar nesse mercado e citar alguns links interessantes?

Sim, para construção de synths DIY um dos sites mais completos é o http://www.musicfromouterspace.com/.
Para tudo relacionando ao universo maker, inclusive synths e sequencers um site ótimo para tutoriais é o www.instructables.com
e para inspirar experimentos e sons fora do comum, nada como ir direto na fonte, no site do mestre, o pai do Circuit Bending, Reed Ghazhala: http://www.anti-theory.com/.

Gostaria de te agradecer mais uma vez pelas informações e parceria e espero revê-lo em breve, seja na pista ou em alguma oficina. Ah, por falar em oficina, quando vai rolar a próxima pra gente avisar aqui para os nossos leitores?

Estamos com o Laborátorio de Robôs para crianças acontecendo no SESC Belenzinho em São Paulo, nos dias 17/10, 24/10 e 02/11. E no site www.dadalab.org tem o cadastro para receber as novidades dos nossos workshops e produtos.

Obrigado! Até a próxima

Facebook Comments

Por:

Lennox é DJ, produtor musical e trabalha com Marketing. Ele já se apresentou nos principais festivais, clubs do Brasil além de ser residente do D-Edge em SP. Como produtor, já remixou nomes como Giorgio Moroder, Chromeo, Robert Owens e Luke Solomon. Lennox também minsitra cursos e workshops de produção musical e técnicas de dj em mixagem, estando a frente do projetos como Skol Beats Factory e Rio Music Conference.