Contatos: (11) 3142-9676 / 3257-8717 / WhatsApp: (11) 97485-5700 - Seg. à Sex. das 09h00 às 22h00 e Sáb. das 09h00 às 18h00.

HomeMúsicaA música eletrônica em novos horizontes, invadindo Hollywood.

A música eletrônica em novos horizontes, invadindo Hollywood.

Nos últimos vinte anos pudemos acompanhar o crescimento e a consolidação da música eletrônica no cenário musical mundial. Com a popularização da linguagem eletrônica, ela vem sendo utilizada em diversos meios, como jogos, vídeos, desfiles e instalações de arte. Rudy Chung, supervisor da empresa norte-americana de licenciamento musical Los Angeles Hit The Ground Running (HTGR), fez cometários relevantes sobre a aproximação da música eletrônica e a indústria cinematográfica. Para ele, além da música eletrônica ter se tornado extremamente popular, a diminuição do pagamento a músicas em Hollywood têm aproximado o mercado da cena independente.

“Estamos recebendo cada vez mais propostas de companhias cinematográficas para ir atrás de artistas da música eletrônica, porque eles querem um tipo de música que os compositores que habitualmente trabalham para a indústria de Hollywood não são capazes de fazer”, afirmou Rudy.

O foco principal de Rudy, ao menos por enquanto, são os trailers produzidos para o lançamento de filmes, uma vez que eles carecem de uma linguagem dinâmica e uma música capaz de acompanhar os cortes rápidos da edição. As habilidades específicas dos produtores de música eletrônica também foram ressaltadas:

“Os compositores hollywoodianos conseguem fazer trilhas clássicas com instrumentos de cordas e peças instrumentais, mas para criar trilhas que consigam mesclar o som sinistro, espiritual e fantasmagórico da eletrônica, com elementos mais orgânicos e modernos, é preciso contratar alguém que venha especificamente da música eletrônica”

O supervisor musical também destacou que não há preferência por estilos, pois o que importa é a capacidade de criar.

“Então se por acaso encontramos um compositor que também produz faixas de dubstep ou cria músicas muito interessantes de ambient e achamos que esse cara tem o nosso perfil, é lógico que vamos querer assinar. Estamos sempre à procura de grandes artistas, grandes produtores, ótimos empresário e selos independentes para que possamos criar longos relacionamentos”

É importante que em um mercado em franca expansão, que forma novos profissionais todos os dias, haja consciência das inúmeras oportunidades de trabalho que surgem nas mais distintas áreas. Novas possibilidades contribuem para o crescimento da música e para o reconhecimento dos profissionais da música eletrônica por um público ainda não familiarizado com ela. E você, já tentou colocar sua idéia em prática ? A DJBan oferece cursos básicos para você começar o processo e quem sabe… Estrelar em Hollywood ?

Facebook Comments

Written by

A DJ Ban é uma empresa fundada em 2001 e sediada em São Paulo. Entre as áreas de atuação estão cursos, loja, TV, estúdios para treino e gravação de sets, palestras, locação de equipamentos, eventos, e outras atividades ligadas a música eletrônica.

  • Olá De lucca! Parabés pela matéria, sou fã de música eletrônica (do tempo bom de Insoc e Tin Simenon)
    Sou desenhista e só funciono ouvindo sets de Dj. Por favor acesse http://www.anaceciliamusic.com.br esse site é da minha filha que canta pop music e agora está se enveredando pela música eletrônica! e gostariamos de dicas (produtores DJs) para que possamos produzir uma música para minha filha,pois ela só canta covers Ok!

    Obrigado! Mauro

  • Parabéns pela matéria! Muito bem escrita e com informações muito interessantes, tanto para quem está dentro , quanto pra quem está fora desse cenário eletrônico
    (pois as pessoas podem se permitir olhar pra isso de uma forma mais receptiva). É legal ver o quanto um estilo musical, tão visto com preconceito em tantas situações, alcança cada vez mais seu espaço dentro de outras vertentes da mídia, como filmes, por exemplo.
    Desejo cada vez mais sucesso para a DjBan!
    E, claro, boa sorte ao meu amor, nessa nova fase.
    Grande beijo!
    Carol.