HomeMúsicaDe BBBs a ZZZs – DJ, uma espécie em expansão.

De BBBs a ZZZs – DJ, uma espécie em expansão.

sensation_blackCom a onda de que Todo Mundo Quer ser DJ, várias escolas de DJ no mercado, cursos em casa com amigos, etc, vamos falar de assuntos mistos onde essa vontade “infelizmente” nem sempre se dá  por que a pessoa gosta, busca, vive e come música e sim porque muitas vezes, o que se mostra, são as facilidades, as maravilhas, os milagres, a falsa mídia ou seja, “a parte boa” da coisa… Começamos então com o que se ouve falar disso e daquilo, e depois seguimos com dicas para você que quer começar, afinal, mesmo não sendo um BBB você tem direito! Só procure entrar pela porta da frente…

Faltam escolas de DJ em Portugal. Tá vendo como não somos tão atrasados ? Hmmmm… Não caiu a ficha? Então vamos lá. Muitas das coisas, de vários segmentos, sempre aparecem “lá fora” primeiro. A RTP (Portugal) apresentou essa semana, uma matéria de que a profissão da moda é ser DJ, porém no país ainda são poucas as escolas com cursos na área. Como a matéria (veja abaixo) foi gravada na danceplanet, parceira da DJBAN em Portugal, e que domina no segmento por lá, sabemos que essa matéria esta equivocada. A não ser que a mesma se refira a faltar “escolas de verdade”, porque como aqui, temos cada vez mais cursos na área e nem sempre há-se uma didática, conteúdo e claro, cultura. Muitos cursos DJ mostram o glamour e esquecem da arte. Mostram a possibilidade, quase sempre inexistente, de se tocar em baladas. Parece que só balada necessita do trabalho de um DJ… Mostram a técnica, que se faz necessária, mas esquecem de falar da “musicalidade”. Muitas não enxergam o próprio talento (aluno) que era só tê-lo lapidado e acabam por estragá-lo… Pois é, devemos ter orgulho de estarmos no mesmo caminho, aliás, bem adiantados, afinal, o Brasil é para muitos estrangeiros, um país onde o transporte é via cipós…

ahhhhhhhhhhhhhhhhh

No blog do Ilan Kriger (Aimec), tem um post bacana sobre as escolas de DJ de Manhattan estarem lotadas e o título da matéria é sensacional: “Em tempo de crise, vire DJ“.

No Twitter, de tantos em tantos minutos, confiro uma “twittada” de “BBB-1 virou DJ”, “Artista de não sei onde virou DJ”, “o pai da mãe da cunhada da avó da tia da não sei quem também virou DJ”. Ops… Enquanto escrevo esse, mais um sinal do Twitter e vamos ver… Sim, O “BBB-32 acaba de sair do curso de DJ e já esta contratado para o segundo semestre inteiro” , e acabo de receber um Spam de uma escola de Guitarra, que agora também dá curso de DJ.

Matéria de Camilo Rocha, na coluna Bate-Estaca em 2002 já tinha o título “Oh não, todo mundo quer ser DJ”… Lendo tudo de novo, lembrei da banda Plebe Rude com “Até quando esperar”. A canção já tem mais de 20 anos e o tema é muito real. Pois bem, na matéria do Camilo também:

“Acho que a maturidade de uma cena se avalia também pela qualidade geral do que faz parte dela: não só bons DJs e pistas cheias de energia mas também eventos bem organizados, publicações de nível, decorações fantásticas, flyers de cair o queixo, produção musical criativa e tecnicamente bem feita, sites interessantes etc. Enquanto tudo isso não for satisfatório e todo mundo só quiser ser DJ, significa que o deslumbramento ainda determina muito do que essa cena é. E esse outro lado da questão não tem nada de divertido, é mais para medíocre mesmo.

Imagine pirâmides em cima de pirâmides...

Um topo, além do topo… Se o mercado deu de certa forma um glamour a coisa toda, acendeu-se uma luz a quem já tinha glamour, sucesso ou fosse conhecido (seja lá o motivo) e criou-se a ponta de uma pirâmide em cima do topo dessa. Porque a maioria não quer mais ser  DJ “de” festa, querem ser DJ “da” festa… Você vai ter os Tops que já nasceram Tops, os Tops que foram empurrados como Tops e agora os “artistas” Pops (ou talvez empurrados/inventados) disputarem a mesma fatia. Escalões, como em qualquer segmento, se alguns foram “inventados” e estão na ativa, por que não outros ? A grande massa continua na luta, e tem esperança de um dia poder ser coadjuvante do que ouve sempre dizerem, que “fulano” ganha 10.000 por noite e “ciclano” 50mil. Continua  na concorrência pelo “cachet ajuda de custo” com os outros artistas do mesmo patamar. Nasceu com talento e não tem o tal “glamour” ? Volte para o ventre da mamãe e apareça daqui uns dias… Ou seja um BBB!

Porém, o mar não esta para peixes, logo, o resultado disso é que todo mundo esta na mesma. O DJ que ganhava R$ 100.000,00 por mês e gastava 80.000,00, agora reclama que tá ganhando R$ 60.000,00 e tá mal (porque continua gastando os 80!)… Não consegue pagar as contas por causa da avalanche de DJs que o mercado tem sofrido. E pensa o mesmo, aquele que ganha R$ 1.000,00 por mês, sonhando em ganhar R$ 1.200,00 mas no mês passado só entrou R$ 700,00. Foi comentar isso com DJs amigos e ouviu: “jogue as mãos pro céu”… Como o que vem de baixo não atinge, o “problema” estará sempre em cima… Em cima do topo ou em cima da massa… Eu não vejo problemas. É uma ação totalmente normal sobressair sobre algo se você fez por merecer, se sabe o que esta fazendo de verdade e claro, que por mais vergonhosa a situação que tenha feito o DJ chegar ao topo, mais vale se ele conseguiu provar que merece ali estar ou se manter no topo…

sensation_black_2003

Por outro lado, se sobram DJs, faltam excelentes organizadores “olheiros” e sabidos do que esta rolando na cena como um todo. Ficou mais viável jogar com o mesmo time ou contratar aquele craque que apareceu no vizinho. Feeling é uma coisa que poucos tem nesse segmento e esses poucos estão bem. Claro que é mais fácil jogar com cartela de 13 pontos, mas quando a coisa se estagna, muitos se perdem… Em Frankfurt, estive no Cocoon Club (sensacional – para milhares de pessoas), porém também fui ao Robert Jonhson (é uma casa sem decoração -nem precisa-, o som não é lá essas coisas -também não precisa- e o público que vai lá nem sempre sabe a atração que vai encontrar -e não precisa também-) mas podem ouvir um TOP do TOP e depois dele um DJ que tem musicalidade, porém ninguém tem a mínima idéia quem seja… Aí entra o “olheiro”. Olheiro bom vê o jogo na Europa mas também vai  aos campos de várzea ver se há novos craques, e com o campo… Ah, o campo é pintado de vez em quando e muda-se o nome do clube. Tá bem futebol mesmo, que ao mesmo tempo tem salários de milhões para dez (merecido!), tem o salário de “dez” para milhares de profissionais. Só que no futebol, se o craque pisa na bola, você tem torcidas vaiando, a Imprensa defamando e o camarada precisa reagir rápido senão cai… Como DJ não. O camarada pode ser o pior, mas se tem o “glamour” ele permanece. Sim, porque o marketing é tudo. Imagine um flyer anunciando uma atração que era o número 50 e poucos da revista xyz… Não tinha o que o cara tocava, de onde ele era, onde tocou, mas o “chamariz” estava em destaque (história para boi dormir). Diz que a pista também dormiu no dia!

pista zzzzz

Como pode uma escola de DJ estar falando que ninguém pode ser DJ? Não… Essa escola de DJ só esta reportando um acontecimento, cujo qual não tem fim e como vimos em Portugal, cada vez mais a profissão DJ será a bola da vez por muitas coisas de bom que a música nos oferece. E na nossa opinião, qualquer pessoa que queira ser o que quiser, deve correr atrás de seu objetivo. O que somos contra é como a história esta sendo contada.

Gosta de música, quer aprender a tocar, leu esse post. Desiste ou se joga nessa panelona ?

Desiste não! Só vê se não cai em furada, afinal, quando todos vão pra um lado, as vezes vale mais você ir pra outro. Se vai começar do zero, procure fazer um curso e seja sincero consigo mesmo. Me dei pra coisa ? Me dou pra coisa ?

Se a reposta for não, que tal ajudar na produção e realização de festas ou projetos já existentes ? Estando no “meio”, você pode descobrir um talento em você, e pense sempre que 11 Pelés num campo de futebol não dará muito certo… Tem de haver outras pessoas nas outras funções.

Se a resposta for sim, procure começar sua casa com um terreno firme e comece do alicerce. O que mais complica em muita gente querer ser arquiteto (é como a história esta sendo contada) é fazer o telhado primeiro e “sair fazendo”… Você já sabe no que vai dar…

um dia a casa...

Então por que não começar com os amigos, em casa, no trabalho, etc? Isso mesmo! Fazendo as festas do seu grupo. São seus conhecidos, você poderá se soltar mais, de certa forma já conhece um pouco do gosto deles e vai se preparando para estar perante o público. Não se importe com o número de pessoas e sim com a qualidade dessas… Festa no “trampo” ? Todos já sabem que você tá fazendo um som ? Se sim, ótimo, você esta no caminho certo, pois se nem seus amigos sabem que você toca, quem dera se partisse para algo mais profissional mesmo (aqui esta uma das “furadas”, não acredite que um dj que apareceu do nada consiga fazer o serviço em 100% ou escolas que dizem oferecer algo em troca para que você faça o curso)… Festa com amigos no apartamento ? Na beira da piscina? No after ? No pré balada ou na sua escola – agite para fazer festas por lá para juntar a galera e angariar fundos para a formatura, entidades carentes, etc. Se necessário e possível, crie sua equipe tendo parceiros ao seu redor, sendo um, o amigo do som e outro, o cara que faz a arte, outro, o financeiro, o outro que desenvolve a divulgação, etc. CRIE seu posto de trabalho, NÃO fique apenas esperando seu telefone tocar e NÃO caia nessas que TUDO É FÁCIL… Se o DJ tal, tal ou tal ganha muita grana, é devido ao seu trabalho e conquistas, calma lá… Se um DJ foi inventado do nada, mesmo ganhando algo, se a moda virar para “todo mundo quer ser motorista de caminhão”, pode ter certeza que ele vai aparecer de Carreta, e se bobear, com patrocínio. E claro, não deixe de fazer aquelas seleções (sets) gravados com o que você mais curte e quer ouvir no seu carro (policie-se) ou dê de presente para seus amigos e amigas…

festa com camaradas! aprendizado e boca a boca“Quero ser DJ de festas em geral”; Vá em aniversários, casamentos, buffets, etc e veja o comportamento das pessoas ao som do DJ, o que ele esta fazendo, e se conjuga certo ou errado (não como crítica e sim o que você faria). Porquanto muitos “DJs” dizerem: “tenho um milhão de giga bytes de música no meu computador” e não conhecerem 0,00001%, essas festas poderão ser a verdadeira escola da sua carreira já que o repertório fala muito mais alto que técnica ou espaço usado no HD.

“Quero ser DJ de balada, meu estilo preferido é xxxx”; Vá em festas desse segmento ou parecidos. Procure conhecer todo o Staff da casa e saber quem faz a noite por lá. Quem não é visto, não é lembrado, no entanto, fique na sua e não seja “o chatão”. Vá aos poucos se familiarizando e numa boa oportunidade, ofereça um set do seu trabalho para o promotor, sem obrigá-lo a ouvir e sem encher o saco para tocar lá no local só porque você deu o bendito set… Se você tem talento, na primeira oportunidade já angariará frutos… Se você não tiver tanto talento, mas for um formador de opinião do seu grupo e esse também estiver sempre na casa, você também colherá frutos, nem sempre frutos bons, porém isso dependerá de você, ou seja, se é ruim mas esta fazendo algo para melhorar, ótimo. Se é ruim e “se acha”, não se ache, tenha certeza que você poderá acontecer, porém difícil será progredir ou se manter… Leve amigos (PAGANTES) para a festa, afinal, se queres um dia receber pelo seu serviço, e se as mulheres que você convidou gostariam  que tivesse papel higiênico no banheiro, é importante que paguem os ingressos…

“Mas eu tocaria de graça porque eu amo”… Então faz o seguinte: Sabe aquele barzinho, padaria, açougue, balada, cemitério ou qualquer local que você curte mas não tem nenhum projeto rolando por lá ? Se joga! Oferece lá uma parceria com o dono, que você levará um número x de pessoas pra fazer o seu projeto. Além de fazer a “máquina rodar” por estar empregando gente, terá seu lugar para tocar, pode ser que sobre algum $ que você não estava nem esperando e poderá inclusive se beneficiar dele (projeto) acaso esteja indo bem (depende de quem?), sendo convidado a tocar em outros lugares. Só não pode jogar a toalha se surgirem mais convites para tocar e desencanar do projeto… Força! Você optando por tocar de graça tendo talento é tão pior quanto um artista qualquer se intitulando ser DJ “não o sendo”. Se um projeto já existe, se um DJ já toca lá e você também quer tocar, então jamais o queime e se queime oferecendo seu trabalho por um valor ridículo… Isso só faz a roda quebrar pois os donos desses lugares sempre optarão por essas ações. Se não quer que aconteça com você, então não faça com os outros…

“Preciso ter meus equipamentos”? Lembre-se do assunto acima. Se você comprou seus equipamentos, e você sabe, não foram baratos, qual a vantagem de fazer o investimento e ainda se sujeitar a trabalhar de graça? Valorize cada centavo gasto e se veja como uma empresa (seus equipamentos) e um produto vendável (você). A sua “empresa” e seu “produto” precisam se pagar… Independe então, ter ou não ter. Quanto maior o investimento feito, mais risco ele correrá e mais verba tem de voltar.

Murphy, TOP não por acaso!

“Tá rolando um campeonato para DJ, e aí? E aí pergunto eu… Você quer ganhar a São Silvestre, ok, mas quantas vezes você fez o percurso da mesma ? Esta treinando ou arrumou “um esquema” para sair na frente ? Ainda assim, se não segurar a posição, um mais preparado passará, isso se você não for atropelado. Ou pior (topo além do topo): Você se acha o esperto por estar na frente no seu esquema e vê passar do seu lado um “outro camarada no -esquema dele- na garupa da moto da filmagem”. Perdeu! No entanto, se você esta em forma e acha que pode, participe para ganhar mas não espere nada. Faça apenas a sua parte (sendo justo)… Campeonatos, posições em Revistas, prêmios, etc são bom quando você faz de tudo para ganhar porque sabe que tem pessoas boas como você e por isso deu o gás e ganhou. Aí você sabe que é bom porque lhe falam, não porque você fala, não porque você paga, não porque você tem “o” esquema… Além do mais, o que mais se vê em eleições são DJs pedindo votos. Quando termina e não ganha diz: “pô, panela”. Campeonatos, a mesma coisa. Perdeu, bota defeito em quem ganhou. Se quem ganhou foi o cara da garupa da motoca, uma hora ele cai, mas pode também ter sido um cara melhor ou naquele dia mais preparado que você. Vai lá com tudo para ganhar mas saiba também perder. Marky, Murphy (foto acima) e Snoop são DJs que participaram de campeonatos. O lugar que eles estão hoje são por que a mídia os colocou da forma que hoje vemos ou por capacidade e know how? Não adianta… Quem é, é! E esses três, bem como muitos outros, são exemplos reais de que talento não se compra, porém perceba que mesmo sendo de um alto escalão (para citar o exemplo), há ainda obstáculos criados pela medicrildade. Vença essa barreira com ações, não com cartões de crédito ou sendo pior do que aqueles que você julga…

“Faço tudo certinho, mas não dá certo”; Ponha-se no lugar do dono daquele club, festa ou rave que você quer tocar. Ou daqueles donos, promoters, etc… Com inúmeras opções, de photoshops a shortinhos com corpos sensuais + seios de fora e artistas, etc virando djs + povo da mídia ou veteranos que sempre são craques, você “o” contrataria? Por que? Responda sinceramente a você mesmo e saberá por onde e como melhorar sempre para chegar lá. O caminho, você escolherá. Boa sorte!

Lembre-se: A MÚSICA esta acima de tudo!

Tocar é uma arte, um dom que todos podem conquistar, mas jamais terá um preço a se pagar. Ter equipamentos, um club a beira da praia ou na garagem de casa para “brincar”, ou ser pobre ou rico são virtudes e não há nada de mal nisso. Mal há na falsa mídia, no modo como se diz que qualquer um vira isso aquilo sem ter noção ou da responsabilidade em ser. Mais vale você competir e perder que ganhar o “ganhar”. Não acredite nos milagres que você ouve dizer e curta o tempo que durar se for um deles você.

“Ainda outro inconveniente apresentam as preces pagas: é aquele que as COMPRA se julga, as mais das vezes, dispensado de ORAR ele próprio, porquanto se considera quite, desde que deu o seu dinheiro” Lake.

DJ, segundo o Wikipédia, a enciclopédia livre.

Aqui, o vídeo da RTP – Portugal: “Dar música a ouvir é moda com poucas escolas”

Facebook Comments

Por:

DJ profissional desde 1989, radialista e locutor, é fundador e diretor da DJ Ban - Electronic Music Center.

  • falou tudo mans !!!

  • Realmente fazia tempo que não lia um artigo tão bom sobre a profissão DJ para festa. Parabéns pelo artigo!

  • Demais esta reportagem!!! Estão de Parabéns!!!

  • Muuuuito foda, eu adorei esse post, sinceramente!
    parabéns, isso me ajudou mais ainda a acreditar q vou ser um bom profissional.

  • Pra variar mais um texto MUITO foda!

    Tem muita gente precisando ler e reler esse texto….

    PARABENS!!!!!

  • Bunny´s, excelente post. Durante a leitura, vi vários perfis com os quais me deparo diariamente em algumas comunidades no Orkut… Aquele DJ que toca de graça pq acha que o trabalho dele vai ser visto mais facilmente, o DJ da garpua da moto, ou que tem o “esquema”… Cara, sintetizou sutilmente e com bom humor a realidade da cena.
    Há culpados? Há. Inúmeros e de ambos os lados: do lado de quem contrata e do lado de quem é contratado. Claro que criou-se uma bola de neve e é complicado fazer voltar, pois, infelizmente, já passamos o fatídico ´point of no return´.
    Acho que posts como esse, o qual divulgarei com veemência pela internet, são o início de um processo de conscientização, necessário para que os tais que têm o ´esquema´ ou os da garupa da moto, ou mesmo aquele inocente que acha que tocando de graça chegará mais rápido ao ´paraíso, possam entender que amanhã ou depois, o efeito recairá sobre eles mesmos!!!
    A mudança está em nós mesmos, a partir da conscientização. Atitudes como essa, isoladas, formam um conjunto. E, conjuntamente, tenho certeza que é possível melhorar essa ´pataquada´ que acontece atualmente.
    Um forte abraço e, novamente, parabéns pelo post!

  • Ótimo conteúdo, vale ler parágrafo pós paragrafo!!
    Teus post’s são excelentes man, parabéns*

    DJ Fabiano Santos®

  • Show de bola! Parabéns! Esse tipo de post só se vê aqui ou no site do ilankriger. Coisa que você lê e na hora para e pensa, poutz é real. Ou ate mesmo pega uns vacilos seu mesmo, coisa que quando não são os pay ou esquemas como dito, não é nem na maldade, todos nós estamos propricios a erros, vacilos e tudo mais. Bom poder contar com alguem que tem experiencia e dá as dicas, abre nossos olhos, as vezes da aquele tranco e diz “ow acorda, não é assim não!”

    tkss

  • Meus parabéns mais uma vez Mr Bunnys!
    Uma matéria completa, simples e direta para todos os Djs de A a Z, de clubs a quartinhos; e para todos aqueles q de alguma maneira tem algum envolvimento com esses profissionais.
    Material didático pra todos nós!
    Grde abrç man!

  • A galera falou tudo. A matéria está sensacional! Nunca havia lido algo parecido. Esta é de longe a melhor matéria a respeito do assunto. Parabéns + 1 vez Bunnys!

  • legal materia gostei muito…

    sou d,j hÀ 14 anos

    antes so mixava…hoje virei produtor musicas tenho 47 musicas entre funk um dos primeiros ritmos,e depois parti pra electro…afffff ate de evangelicos ja produzi….

    resumindo…….ser d.j é show!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    abraçao…….fabinho d.j (21)
    2659-1558

  • CARAA!! Tu ArrazOU! Parabens pelo PosT! TOW NO CAMINHO CERTO! \O/
    AbraçO!

  • Falou tudo Bunnys !! Sem tirar nem pôr !!!
    Esta é indubitavelmente a melhor matéria que já li em relação ao assunto . Tá de parabéns pela honestidade ;) .

  • Bellíssima matéria Dj Ban !!!!

    concordo e assino tudo que aqui, li !!

  • Sensacional matéria!

    Estou em meio a um curso de DJ também e um dos DJs que me encionou, nos falou isso com clareza! E realmente, existem pessoas que tem amor a música e outros que procuram dinheiro, não que o amor a música não leve dinheiro, afinal como dito, é um investimento. Que limpe-se o cenário de DJS da moda, por favor.

  • Sensacional!

    Infelizmente, ainda vivemos num mundo cheio de pré-conceitos….. Não importa se vc é o cara q toca, o cara q dança ou o que carrega os cabos….. Estamos tds no msm barco e temos que remar juntos e sempre na msm direção.
    Hj eh “facil” conseguir coisas pela aparência, pela lábia…mas os q realmente colherão bons frutos serão os que tem mérito e dedicação por agirem de acordo com o q é melhor para todos.

    Extremamente satisfeito, mais um aluno pra história da Dj Ban !

  • Mandou mto bem no texto Bunnys, parabéns meu velho!!!
    Matéria extremamente interessante, rica e objetiva. Com certeza tira mtas dúvidas e anseios tanto de DJs ja renomados no mercado qto aqueles q continuam correndo atras.
    Com certeza abre os olhos de mta gente da cena!!!
    Grande Abrç e parabéns mais uma vez!

  • A matéria está perfeita!
    Mas confesso que para mim, que estou para começar meu curso mês que vem, soou de forma meio “assustadora”.
    Afinal de fato estamos vivendo este período de Serra Pelada do CDJ, e sempre fica a dúvida se vale à pela passar pelo PAREDÃO de críticas que certamente virão, por ser “mais um” neste meio.
    Mas pra mim tem diferença! Não quero ser mais um e sim MAIS UM! Haja preparo físico…. heheheh…
    Parabéns pela matéria!

  • Olá Ollie. Quando o ver novamente diga para ler o post :) Talvez falte um direcionamento em específico, muito oba oba por achar que tudo cai do céu ou falta de informaçao, ou seja, não será o post que fará milagres, mas se cada um plantar um semente como muitos fazem, melhor para todos ;)

  • Matéria excelente e altamente elucidativa, mostra a realidade da cena em todos os níveis e como conviver com ela. Vale muito não só para os iniciantes mas também pra quem rala há tempos…
    Meus parabéns, Bunnys!

  • já ouvi alguém dizer que toca de graça porque não paga pelas músicas…tem gente que é cheia de merda mesmo…

  • Obrigado a todos pelas considerações e palavras. ;)

  • Adorei o que escreveu sobre “Quero ser DJ de balada, meu estilo preferido é xxxx”; :

    Muitos djs não entendem pq uns são mais chamados para tocar e outros não são chamados tanto assim, mas não colam nas baladas, não gravam um set, não tem biogradia,não produzem música não tem myspace, site , twitter muito menos orkut, alguns nem e-mail.

    Como vão saber se esta pessoa toca ou toca ainda ou se pelo menos esta vivo!

    Hoje o djs tem que divulgar seu trabalho sua imagem, ser politico , promoter, produtor, formar opnião, e quando são chamados para tocar no minimo levar 10 pagantes para a festa , assim seu cachê alem de garantido, concerteza vc vai ser chamado novamente e outras casas projetos vão te convidar.

    E com tudo isso vc vai acabar formando um publico nas festas.

    valeu!

    Hardy

    Track: http://soundcloud.com/dj-hardy-aka-h2-techno
    Myspace Dj Hardy: http://www.myspace.com/deejayhardy
    E- beatz: http://ebeatz.ning.com/profile/DjHardyakaH2Techno
    Contato: technoresistance@hotmail.com
    http://www.technoresistance.com.br/
    http://www.myspace.com/technoresistancebr
    http://www.fotolog.com.br/technoresistance
    http://twitter.com/technoresist

  • Mandou MUITO! É a realidade e é também um desabafo, porque a cava novo reality show há mais “djs” no mercado e a cada novela idem.

    Não sou dj mas respeito muito a profissão e a figura do dj. Não há NADA como estar em uma pista em sintonia e um dj com feeling + técnica (ou seja = BOM).

    Parabéns aos djs que estão na batalha. E vamos torcer para que um dia essa ultra glamourização abra os olhos para outras atividades.

  • Grandioso e valiosíssimo material este que vc humildemente postou meu caro Bunnys! Cara, você falou e disse TUDO o que há de bom e mau na nossa profissão! Não tenho nem o que acrescentar, só a agradecer pela leitura!

    Que ela sirva de “doutrina” para os novos talentos e, é claro, para muitos atuantes na cena também!

    Parabéns pelo texto, de verdade!

  • Lindo texto, muito bom mesmo….

    Mostra exatamente como é a cena de hoje e como cada um faz para ser DJ.
    Uns correm pelo lado certo pelo amor a musica, já outros…

    Parabéns e tudo de bom

  • Um dos textos mais completos e HONESTOS que já li sobre o assunto.
    Sem xurumela, eufemismos ou purpurina.

    Aplaudo em pé, parabéns Bunnys!

  • Otima noticia, e verdade nao e facil mesmo a profissao DJ, tem que batalhar muito para conseguir algo e as vezes chatea encontrar pessoas que nem se esforcam como o comentario do Photoshop.

    A dica e nao desistir nunca e continuar acreditando na cena musical que tem muito espaco para aqueles que perseverarem.

  • Otimo texto.

    Estou a 7 meses treinado e procurando uma oportunidade, que ainda nao aconteceu, mais sigo em frente, treinando e tocando sempre que posso para meus amigos, alem de estar fazendo um MKT voltado para a area e eventos.

    Abracos a todos.

    Andre Domingues
    djoldboy@alegrareventos.com.br

  • È um grande prazer ouvir o trabalho de um DJ que ama e se dedica à música e que não prioriza o glamour que a profissão pode oferecer! Graças a Deus esses verdadeiros guerreiros ainda não entraram em extinção, existe muita gente que honra o ofício e enche nossos corações.

    Aproveito pra agradecer aos que mesmo diante das dificuldades ainda estão na ativa, fiéis a essa arte e comprometidos com a qualidade, buscando oferecer o melhor à cena, independente do gosto musical.

  • Oi Bunny’s! Fui uma aluna da DJ Ban, treino aí sempre que posso e sou uma pessoa consciente da escolha que fiz. Amei a matéria pois coloca em pauta algo que muito me entristece: há pessoas como eu, que querem ser DJ por amor a música, por respeito ao público, e que, acima de tudo, sabem da responsabilidade da sigla DJ antes do pseudônimo e não tem espaço para mostrar o seu trabalho porque pessoas com “pistolão”, ou que estão na “mídia”, têm esse espaço.

    O DJ, pra mim, é um eterno aprendiz, um apreciador de música e acima de tudo, uma pessoa que estuda música. Busco constantemente conhecer bandas e projetos novos, novos estilos musicais, saber como são compostos, qual a sua origem, sem contar o “feeling” pra saber o que cada público gosta de ouvir que só se adquire frequentando diversos tipos de festa e analisando a reação do público a cada som. Isso pra mim é sério, é um projeto de vida, algo que tem que ter um investimento não só de verba, mas de tempo. É mente, corpo, salário… tudo isso agregado para tornar-se verdadeiramente um DJ.
    Adorei as dicas, adorei mesmo. Lutarei até o fim pelo meu objetivo com honra e dignidade, melhorando a cada dia e provando que eu tenho qualidade pra ficar nesse mercado definitivamente.
    Parabéns pelo seu trabalho, sucesso Bunny’s!!!

  • Excelente Bate-papo!
    Linguagem direta e informal!
    Aprendi ainda mais e vi q tava errando em um ponto.
    E vamos na luta…
    Abraços!

    Diogo “S”, ex aluno na DJ Ban.

  • Palmas!!! Man meus Parabéns… demais, demais, demais… como o comentário acima… são matérias como essa, com embasamento é que nos fazem seguir adiante, acreditar que ainda podemos, que não estamos só.

  • Arregaçou na matéia!!! Graças a Internet, temos aulas como essa e bate-papos certeiros que nos fazem forte para seguir adiante.