HomeNotíciasFala sério, a CENA DJ e afins está uma mentira só!

Fala sério, a CENA DJ e afins está uma mentira só!

RESPEITO!
TOP é como dizer que está no topo, e que todo mundo sabe quem ou o que é. Sempre no “boca a boca”, em geral pelo trabalho que fez ou faz, não pela “negociação” que às vezes o eleva e, quando sem estrutura, inverte-se o processo onde a caída é inevitável. Cobra-se o preço que vale por seu trabalho, além de que tem condições de oferecer melhores resultados. São agências, DJs, produtores, rádios, clubs, lojas, etc. Em todos os segmentos, teremos escalões e o respeito deve ser de baixo para cima, como de cima para baixo, logo, cabe-nos RESPEITAR para ser RESPEITADO.

Como muito o que acontece no nosso mercado de uma maneira onde se imagina que tudo seja tão fácil, muitos pensam em furar a fila, outros em comprar seu espaço e outros em se vender. Esse post não vem pregar “a verdade”, mas de uma forma um pouco “complicada”, vem trazer coisas que são legais e outras não. A decisão é sua…  Não precisa alcançar seu objetivo para começar a respeitar alguém, que está no segmento que você quer atuar.

SE EQUIPAMENTOS NOVOS FACILITAM, VAMOS FACILITAR ?

Temos a cada dia mais e mais modelos de equipamentos no mercado, de todos os tipos, para todos os gostos e bolsos. Se é lançado um novo equipamento e nele constar toda a tecnologia do “faz sozinho”, vamos entender que qualquer um pode ser DJ ? Isso é virar a casaca! É como esperar a música se tornar popular para tocar… Equipamentos NUNCA terão sentimento, feeling de e para com a pista ou pessoas, não pesquisam, não ligam e não sobem canais sozinhos, logo, o DJ é e sempre será responsável por isso.

RESPEITAR, NÃO SÓ DIZER QUE PARTICIPOU… EU FUI. QUEM EU SOU ?

Se você é, não precisa lembrar ninguém. Dizer que viveu tal coisa e dela se vangloriar ou se achar mais importante que outros, pergunto: Será que só participar “participando” conta ? Tem um monte de gente que se gaba em ter ido em Clubs que foram muito importantes para a cena no geral, legal, mas aí afirmar que é um ser superior por isso é bem chato. Respeitar é o princípio, além de que mesmo às vezes sendo ativo e não ter se reciclado, ajuda em quê? Tal qual alguns DJs se vangloriando que já tocaram aqui, ali, correram, correram, correram e… Cansaram. Não prosseguiram e reclamam dos que chegaram depois, esses com mais energia, gama, vontade e vanguarda, logo, a cultura e vivência podem fazer a diferença, desde que como referência ou na prática. Quem “faz” ou “é”, sempre será lembrado, mesmo sem auto divulgação do “eu sou!”.

DJ que é DJ sempre será ou aquele que quer, poderá… Top que é Top, dificilmente cairá. E quem não dá pra coisa, pode até aparecer mas desaparecerá. TOPagando-a-luz é um caso recente. (veja abaixo seção Tops)

E MUDAMOS O ASSUNTO:

Verdadeiro ou Falso? Verdade ou Mentira? Esquerda ou Direita? Sensacionalismo? Inveja? Exemplos a seguir ou não seguir? Zueira? Carapuça? “Estou aqui pra confundir, não para explicar”, como diria Abelardo Barbosa, o Chacrinha. Relaxe, critique, reflita, justifique, brigue, pense, chore ou grite. Cause, seja, faça… 

SER, PENSAR EM SER

Existe uma grande diferença em uma seção de fotos com um fotógrafo conceituado (estudou, pesquisou, criou, investiu, chegou lá…), das fotos tiradas por aquela câmera sensacional da mulher da TV, que você filma, grava, edita e ainda manda ela pegar o jornal no quintal todo dia. O ângulo pode até ser o mesmo, mas o resultado final… Para DJs e artistas no geral sempre ocorreu, ocorre e ocorrerá a mesma coisa. Colocar um fone de ouvidos na cabeça NÃO quer dizer que seja um DJ, logo, quem tem medo dos que não são, pode ser que também não seja. Ou o mercado não esta ligando se…

VOCÊ É DJ. E DAÍ ?

Caso 1
Cliente: “Oi, quanto você me faz o DJ Fulano?”
Empresa: “R$ 10.000,00”.
Cliente: “Poxa, tá caro!”. “Melhora ?”
Empresa: “Hmmmm… Te faço por R$ 2.000,00 mas você leva também os “TOParceiro”, “TOPreguiça” e o “TOPuto” (veja abaixo seção tops).
Cliente: “Beleza, fechado!”

Caso 2
Cliente: “Oi, quanto você me faz o DJ Fulano?”
Empresa: “R$ 10.000,00”.
Cliente: “Poxa, tá caro!”. “Melhora ?”
Empresa: “Hmmmm… Te faço por R$ 500,00 mas você só pega DJ nosso”
Cliente: “Beleza, fechado!”

Caso 3
Cliente: “Oi, quanto você me faz o Ciclano?”
Empresa: “R$ 10.000,00”
Cliente: “Poxa, tá caro!”. “NEM DJ ELE É...”
Empresa: “Hmmmmm, verdade, mas ele tem MÍDIA né ?!”
Cliente: “Beleza, fechado!”

ISSO NOS REMETE A UMA CONFUSÃO DE VALORES, NÃO? SIM, MUITOS VALORES:

TOP 10, 100, 1000 DJ
Como podem existir várias revistas e sites de um ÚNICO segmento (música, cultura DJ) onde  cada uma faz a votação dos TOP 10 ou 100 a nível Brasil e vários, exatamente vários aparecem numa, inclusive alguns em boa posição e na outra nem aparecem ? Será que temos “vários” tipos de público nesse segmento “enorme” ?

TOP 10, 100, 1000 DJ parte 2, “melhor confundir e se divertir que informar”
Todo o respeito e admiração a quem produz, logo, por conseguirem tremendo sucesso por suas produções, são contratados e muitas vezes confundidos como DJs.

De outro modo, tem o lado da escolha em contratar “artistas, modelos, etc. que posam de DJs” e a exemplo dos produtores, não são DJs.

E as “TOPeriguetes” então ? (ver abaixo seção TOPs)

– A culpa (se é que existe) é de quem contrata, de quem esta pagando para dançar (público) ou de quem não informa corretamente ?
– Se a mídia diz que é, e segundo ela, o público é quem realmente vota, então temos realmente uma conivência. (De erros ?)
– Se não é mal uma casa noturna contratar uma atração como DJ sendo que o mesmo não é DJ, e partindo desse princípio, que mal tem certos donos de Clubs quererem pagar R$ 50,00 por noite a alguns DJs (que aceitam) ? Temos DJ em ambos os casos ? Ou temos apenas mal exemplos ?

TOP 10, 100, 1000 DJ parte 3, “vote em mim”
Quando saem os indicados, a frase de alguns é: “vote em mim”. Quando vem o resultado e não se ganha, a frase muda: “panela”!

A PALAVRA “PANELA” DEU FOME DE “JABÁ”…

Muito se fala que as rádios são “jabazeiras” (tocam músicas negociadas com gravadoras, etc). OK. Já é claro e notório que isso ocorre, talvez desde o surgimento do rádio, legal, mas o que tem a ver? Sim, eis que ele está presente, o JABÁ. “Te dou gigs e você me dá anúncios”, “Toco aí e você toca aqui ou ali indicado por mim”, “Me dá uma garrafa de Vodka que eu toco na boa”, “Me contrata que te indico…”, “Toco por R$ 100,00 mas você me contrata por X vezes”. E por aí vai. Negociação “saudável” ? Claro, como as rádios fazem…

FALAR EM PANELA E JABÁ, LEMBRO DA HISTÓRIA: “O AÇOUGUEIRO”

Carlo, o DJ que cobrava R$ 50,00 para tocar era muito mal falado entre os DJs profissionais, que tem cachês de acordo com a festa variando de R$ 300,00 a R$ 15.000,00 por seção.
Pedro, o açougueiro conhecido da maioria dos DJs consegue trazer no meio das carnes importadas, equipamentos de DJ e estúdio. Pedro não oferece nota fiscal, vende mais barato que o valor normal do produto, não tem a mínima noção do que ele vende e vende somente em dinheiro.

DJ não cobrar ou não se valorizar é tão mal quanto PROFISSIONAIS não valorizarem seu mercado: DJs, Agências, Produtores, Revistas, Sites, Blogs, Lojas, Clubs, Festas… Ou não ?

VALORIZAR ARTISTAS = TOCAR VERSÕES RIDÍCULAS ?

Em vez de direitos autorais cobrado pelos escritórios de arrecadação, devia se cobrar das versões ridículas que temos hoje dando em árvores (leia-se via web). Sem sentido, sem performance, sem qualidade, sem criatividade e sem vergonha de quem toca! É o famoso “jeitinho” que temos e muitos passam a palavra. Numa época não tão distante você tinha um remix, dois e alguns casos até mais, porém hoje você tem versões diferentes e mal produzidas até para carros de som dos vendedores de pamonha. Mas tem gente que curte…

APROVEITEMOS A INTERNET E VAMOS AS COMPRAS COM: “MÚSICAS DEGRAÇA”

Há aqueles que vivem falando do “vizinho”, que toca de graça. Ele só esquece de olhar a calda. Baixa música de graça, tem o melhor telefone pois comprou no “esquema”, tem um ótimo equipamento porque também comprou no “esquema” ou tem o pior e diz que é o melhor (leia-se não sabe ler), vive com roupas de marca, que nem sempre são verdadeiras e paga de gatão, gatona. Orgulha-se em ter milhões de músicas no seu HD Ultra Hi Power Esquematization… E precisa conhecer as músicas ?

QUEM BAIXA MÚSICA, TEM DIREITO DE FALAR MAL INCLUSIVE DO: VIRTUAL DJ, QUE COMO O NOME DIZ…

É virtual. Tem gente que ama, idolatra e tem gente que nem conhece, mas mete o pau. Por que? Porque acredita que o software possa ser melhor que ele. O VDJ é o 3X1 (três em um) da geração 2000. Tem gente que começou lá atrás, com as “Garrards”, seguiu e hoje esta por aí, tal qual podemos ter sucessores que sairão do VDJ. Se na Garrard o trâmite era mais difícil que hoje, mais um motivo de acordar para a vida: “Quem vive de passado é museu”. Tem muito mais gente fazendo o povo dançar com VDJ eticamente que outros com CDJs-1000 não sabendo onde se liga o “efeito” (leia-se NÃO tem efeito). INFORMAÇÃO é tudo. Seja VDJ, Garrard ou iPod, a festa tem de acontecer. Seu nível está acima? Sem problemas, solicite o equipamento desejado e boa festa, mas respeite! O exemplo não deveria vir dos de cima?

NÃO SE VALORIZA, BAIXA MÚSICA DE GRAÇA, ATRAPALHA E AINDA RECLAMA ?

Então você é de BAIXO, bem BAIXO. Nesse caso, não depende o que você usa, se caro ou barato, se todas as ações acima ou apenas uma. Você contribui para um cenário cada vez pior, tal qual mais dia, menos dia, o afetará. É a coisa mais normal nesse “mercado”: fazer com os outros o que NÃO gostaríamos que fizessem conosco. Mas há quem diga que todo esse processo é o que há. Você consegue se ver nisso ?

E A “BRIGUINHA” DA TERCEIRA SÉRIE, CURTE ? DJ “BOTÃO” X DJ “MK”

Sim, ainda tem gente preocupada em qual mídia é melhor, não com sua técnica, aparência, sua biografia, suas festas ou com o PÚBLICO… “DJ que é DJ toca, faz, acontece e basta!”
Ps: Temos orgulho em ensinar nos nossos cursos DJ utilizando (também) os Toca Discos, que é realmente uma forma essencial no que tange a cultura DJ, formato, contato e base de ensino, mas há muito mais a acrescentar que a mídia que a pessoa vai usar. Ops… Perda de tempo, melhor incentivar a brigar mesmo pois quem faz a pista é o equipamento.

MODA É PAGAR CARO ? E OS INVESTIMENTOS QUE NÃO VOLTAM, TAL QUAL O CONTRATADO ?

Muitos e-mails diários sobre “qual o melhor disso ou daquilo”. Nota-se que não querem uma base ou aprender e sim o melhor ter… O melhor equipamento só tem bom uso na mão de quem sabe usar. Este faz barulho até com maus equipamentos se preciso. Há alguns casos portanto que até em release você vê o que o “DJ”(?) usa. Depois… Decepção ? Contratou por esse preço e a pista ficou vazia? Parabéns! Tenta lembrar agora do seu “residente”, que ganha mal, abre e fecha para quem vem fazer a pose, mas segura a pista e faz seu bar faturar. Contratou pelo nome? Parabéns! Colocou nome achando que não precisava ter PROMOÇÃO ? Claro que não! Continue assim…  Ah, você contratou, teve casa cheia e ganhou dinheiro? Calma então, o texto não é para você! Com exceção da parte do “residente”, desde que ELE se valorize.

MAS TAMBÉM, FOI ACREDITAR NO RELEASE

Quem é que lê release ?

MULTIDÃO ou MENTIRÃO?

Um festival com 5 pistas para 50.000 pessoas sendo que cada espaço comporta 5.000 (que já é bastante), num release você vai ler o seguinte: “Tocou para 50.000 pessoas…”. Num outro caso, o pedreiro que faz uns bicos como DJ insere em sua apresentação: “já toquei nos clubs x, y, z…”, só faltou dizer a maneira como havia tocado. Mas o mais normal é atrelar grandes nomes junto a sua apresentação, onde dá a entender que inclusive são amigos de velha data… O release do futuro será: “já toquei com fulano, ciclano e beltrano no meu sonho”. Mas o pior está por vir.  Quem contratar, vai “melhorar” esse texto a seu favor e BINGO! Casa cheia!

Nota 1: Muita gente lê release sim. Tal qual as empresas que utilizam de seus CV como rascunho. O meio ambiente agradece.
Nota 2: Seu release será alimentado de acordo com o conhecimento…

NINGUÉM TE CONHECE, DEPOIS VOCÊ NÃO CONHECE NINGUÉM

Eu conheço a Xuxa, mas ela não me conhece… Wow! Continue correndo para fazer as pessoas te conhecerem e siga o trivial: Quando for conhecido (de ser famoso) diga: “Não conheço!”. O que importa é que o conheçam! Isso se atrela que o que o DJ “conhecido” faz é sensacional, independente do que ele faça (mesmo sendo muito ruim). Tem também  coisas do tipo: “Estava lá e foi tudo!”. Todo mundo sabe que não foi, masssssss… Há momentos de um e de outro, claro, mas tem coisas que até mesmo quem foi homenageado não entende o porquê. No mais, é melhor dar parabéns “a la tapinha nas costas” que ser excluído da comunidade. Ou não ?

NESSE MOMENTO, NASCE O TOP, MAS COM TANTA ONDA, SURGIRAM VÁRIOS TIPOS DE TOPS:

TOPuto
É aquele que só reclama. Não se conforma com sucesso alheio, não trabalha e não faz nada, mas vive puto!

TOParado
É o DJ que vive na prateleira, seja da agência ou no seu cotidiano mesmo.

TOPedavida
Ao contrário do TOPuto, esse alcançou um determinado ponto e estagnou. P da vida pois foi ultrapassado…

TOPratrás
Quase igual o TOPedavida, mas esse nem chegar a algum lugar chegou…

TOPrivilegiado
Não toca bem, não leva público mas vive “bem” acompanhado…

TOPianinho
É o que foi criado por alguém, cujo qual vai lá a esquema robozinho, bate a carteira e até logo.

TOPré-pago
Nova modalidade, esse já põe em seu release que só recebe, não precisa nem tocar.

TOPlagiando
Copia charts, pirateia na boa, copia o modo de tocar e até nome se preciso…

TOPreguiça
Versão “edit” do TOPlagiando, esse só copia charts pois tem preguiça de copiar o resto.

TOParceiro
Esse “vive” ao lado dos TOPs de verdade, oferece “parceria” – lê se jabás – a quem quer que seja e pronto.

TOPorfora
É o contratado que não sabe por que sua agência o mandou para determinado local…

TOPelado
É o famoso criado pela mídia, aquele que o colocaram na cabine sem querer, e ele sem saber o que fazer.

TOPronto
Esse está sempre pronto para derrubar um outro companheiro de cabine. Faz por 10, o que o outro fazia por 100,

TOPa-tudo
Pior que o TOPronto, não mede esforços para fazer de graça o que o TOPronto fazia por 10,

TOPedindo
Famoso pidão, mas que nunca vai “ao treino”. Quando lhe passam a bola, é um desastre certeiro!

TOPeriguete
Embora todas as frases acima se enquadrem para o lado feminino, esse é o mais usado para alguns casos. Precisa dizer o resto ?

TOPdezMP3
A pesquisa mais profunda que existe! Compra-se o TOP Ten do site e pronto. Difícil…

TOPagando
É o mais conhecido de todos sendo que desse termo surgiram vários:
TOPagando de DJ, TOPagando para ser DJ (tocar), TOPagando de entendido, TOPagando de TOP, TOPagando de Gaiato!

E tem o meu caso que é o TOPapagaiando.

AINDA BEM QUE É PRIMEIRO DE ABRIL !


Facebook Comments

Por:

DJ profissional desde 1989, radialista e locutor, é fundador e diretor da DJ Ban - Electronic Music Center.

  • Sou totalmente a favor da era digital e controladoras. Essas pessoas que aparecem aqui discriminando e de forma generalizada chamando todos de fake só por usar um programa em seu PC e uma controladora para trabalha, isso é a unica forma de se consolar, pois quem fala mau com certeza gasto o olho da cara e deve esta devendo até o proprio nariz em cima de seus equipamentos ( para não falar outra coisa ) ou ate mesmo aqueles que se dizem professores de DJ que ficam ai sugando dinheiro e aproveitando o momento de modinha da mulecada. Ou seja cada um trabalha da forma que quiser pois o que importa é o resultado final. OBS: Só para deixar claro meu ponto de vista, existe duas modalidades , o DJ e o VirtualDJ e felizmente a cada dia o VirtualDJ esta ganhando muito mais seu espaço no mercado, pois se fosse o contrario isso não estaria deixando muitos DJs de cabeça quente e preocupado.
    Viva a era digital, viva a evolução e viva quem se atualiza pois que vive de passado é museu.
    Abraços!

  • Falou tudo ban ! como outro amigo disse, comecei tb no VDJ, não tinha condições na época, mas amava música eletrônica, ficava gravando as fitas e tentando fazer o mesmo no VDJ rs… fazer o que, quem não tem se vira com o que tem !!!

    Hoje não faço algumas festas, pq qdo falo do preço acham caro, se me arrependo disso ? nem um pouco, acho que temos que nos valorizar, quem é dj ae tá ligado, que não é toda festa que tá lá tudo prontinho … As vezes somos nós que temos que levar todos os equipa nas costas, as caixinhas de som super levinhas rs… pra fazer aquela festa maneira !!! e suamos muito pra conseguir aos poucos cada equipa.

    Mas vamos ae caminhando, o que importa é vc continuando dar o seu valor, fazendo suas mixagens sempre com prazer, idependente ser for para uma ou mil pesssoas.

    Como diz o ditado:

    O futuro a Deus pertence !!!!

    Big Up !!!!!

  • Inesquecivél, fenomenal, incopiavél muito bom mesmo. É a pura verdade tudo que está no texto acima parabéns. Abraços

  • obrigado pelo nível da resposta bunnys..que por sinal muito educado..pelo menos é algo para se
    pensar,pois afinal de contas,isso sempre existiu na cena dj,só que com a internet isso fica
    cada vez mais nitido e transparente..e cada vez mais djs saindo do armário e mostrando a realidade
    que sempre existiu.O importante é ser transparente com as pessoas.E não como muitos vejo
    por aí vendendo esse marketing,que o único requisito para ser dj, é gostar de música…Sendo que
    tem muitas outras coisas envolvidas por trás da jogada,onde o DJ nunca foi uma figura sozinha,
    tem sempre alguém por trás tentando levantar a carreira de tais djs…E isso independente de ter
    talento ou não.
    Fakes “pode até” existir Hoje ou antes…Mas como agoraaaaaaaaaaaa,a coisa é bem
    mais NITIDA,do que nos anos 90. Pois nos anos 90 ninguém abandonava o PITCH durante
    o processo de mixagem,abaixando e subindo o grave,como se já fosse uma coisa aumatica…
    aliás,nos anos 90 as cagadas eram bem nitidas,e não tinha como vc correr…rss
    Se fosse só nesse blog que tivesse esses comentários tudo bem,mas é só vasculhar em vários foruns,orkuts,videos,etc,vc acaba descobrindo que cada um tem alguma história bem interessante
    que viveu ou vive no meio da noite.
    valeu pelas respostas bunnys,
    abraços.

  • amigo ban,desculpa qualquer coisa cara,entendo que vc quer ser politico…
    mas graças as novas tecnologias permitiram em massa a entrada de djs fakes
    falsos djs,celebridades globais,artistas,etc a invadiar o meio de casas noturnas

    infelizmente cara, vc queira ou não,basta dar uma circulada em projetos e vc vai
    ver as figuraças no meio dj se achando que toca…está em falta pessoas sérias neste mercado.
    Já se foi o tempo que existia djs de correria…
    Hoje vale mais alguém que aparece na televisão,do que certos djs de rádio…
    A briga não era por Status?….vcs plantaram isso. como até hoje humildade nunca combinou
    com dj…e sempre vai ser uns passando por cima dos outros sem piedade alguma,
    até hora de acontecer certas trajédias.
    cada um que tome cuidado com as pessoas que se envolve
    pois se vc pensa que é só gente comum que está REVOLTADO com que acontece hoje,
    tem diversos TOPS DJS DE VERDADE MESMO que estão putos mesmo com certos caras.
    abraços

  • Rafael, quem escreveu fui eu e por acaso não tenho revolta nenhuma com o mercado. O post foi feito no dia da mentira :) Acredita quem quiser… E discordo totalmente sobre a tecnologia ser culpada de algo citado. Por ela, estamos tendo a oportunidade de bater esse papo…

  • amigos,hoje não tem como definir quem é frustrado ? e quem não é..Pois inclusive até os
    próprios tops djs que consideravam certas pessoas como amigos,estão deparando com pessoas
    sem caracter,falsas,pilantras…o meio da noite é uma piscina cheia de falsidades.
    Hoje a realidade está chegando a cada um deles…e até que demorou…

    Nego só acaba dando razão a certos comentários,quando leva uma facada pelas costas
    aí muda de opnião rapidinho…aí vai ver se as pessoas são tão amigos como muitos imaginam.
    Tem cara que quer criticar e não enxerga no próprio rabo…

    Muitos querendo pregar humildade,mas humildade é uma coisa que nunca possuiram,pois sempre
    o lema de muitos é sair metralhando quem aparece na sua frente…

    Antes de falar do DJ XXXXXXXXXX,olhe o seu próprio rabo…..

    Vão lá babar ovo DA DJ XXXXXXXX…que não toca porra nenhuma..não faz scratch,não faz
    performance……nem mexe no pitch…….Dando risada da caras dos djs,criando drama na
    tv ,chovendo contratações…tomando o trampo de profissionais sérios na noite…..É este tipo de
    gente que finge ser DJ,promovendo djs picaretas para o mercado que muitos batem palma..

    Muitos são é politicos só para manter certas relações de interesses..

    Inclusive até quem criou este POSTTTT,já demostra um tipo de REVOLTA por este novo
    mercado dj.

    nego não gostava de pisar na cabeça dos outros por causa de mídia ?Hoje nome em rádio já não
    significa mais nada…Tais celebridades estão aí empurrando no rabo de cada um principalmente naqueles caras ESTRELÕES que achavam que só eles mereciam estar no mercado…

    CONTINUEM BATENDO PALMAS PARA AS NOVAS TECNOLOGIAS,POR QUE VCS MERECEM…..tudo isso é o resultado do que vcs plantaram no passado. Estamos cercados de djs fakes,que tem a cara de pau de colocar o PITCH NO PONTO ZERO,pulando igual um macaco fingindo que mixa,e nem MEXE NO PITCH…

    O Próprio mercado DJ dando crédito as pessoas erradas…E desfazendo de certas pessoas,só por causa de status e mídia…

    Se a classe dj já era desunida antes,agora piorou..daqui a pouco vc vai ver nego saindo na porrada
    para conseguir espaço.

    Quem tem poder..grana,é que manda neste mercado…independente se vc tem talento ou não..

    “O INIMIGO DO DJ,É O PRÓPRIO DJ”

  • Belo post!

  • esse texto caiu como uma luva pruns DJs frustrados chamados XXXXXXXX e XXXXXXXX

  • falou e dice tudo amigo
    otimo texto

  • Belo post!

    Aqui em Curitiba quem reina são os “dj’s” TOPa-tudo. ( SEM DINHEIRO) kkkkkkkkk

  • Acho que seria interessante uma associação ou algo do tipo, como a OAB para os advogados, quem nao passa no exame da OAB nao tem sua credencial para atuar na profissão. Devia existir um assim para os DJ’s. Sei que é complicado montar, mas se tivesse uma espécie de “Ordem dos DJ’s do Brasil” faria um limpa legal nos “Tops”!

    Abraço!

  • – Hahaha ^^”

    Ri muito.

    Texto divertido e imformativo. Uma forma cômica de tratar algo trágico para a cena eletrônica no Brasil.
    Mas, bola pra frente e não se deixar influênciar pelos TOPs (hihihi).

    DESABAFO MODE : ON -> No mundo do Drum ‘n’ Bass tem muito disso também, tem as reais panelas, tem os que vão de embalo, os TOPs… enfim, tem tudo isso… Mas o público continua amando o som, e comparece nas festas sim, fazendo a casa ficar cheia igonarando o que acontece nos bastidores.
    DESABAFO MODE : OFF

    Continuaremos na luta pelo respeito a profissão.

    Parabéns Ban.

    Big UP

  • Perfecto, sem palavras com certeza vamos públicar esse texto , muito mais gente precisa ler isso muito bom mesmo !! ta bem igual a pergunta:

    PERGUNTA: De Quantos DJs precisamos para trocar uma lâmpada?
    RESPOSTA: 10 DJS

    Enquanto 1 Dj troca a lãmpada os outros 9 ficam embaixo olhando e dizendo que trocam melhor :)

    Abraços a familia Ban!!

    Escola Mixdj Porto Alegre formando djs desde 1999.

  • DU CARAIO ESTA MATERIA…..MUITO BOA…..MAIS IAE….. CONTINUAMOS NA MESMA….SÓ BOAS MATERIAS….NÃO AJUDAM….AS ”PORTAS”…..TEM QUE SEREM ABERTAS PRA TODOS….SÓ ASSIM….SABEREMOS QUEM É QUEM…..COMO DIZ A FRASE DO RAPPER DEXTER….”SÓ OS FORTES SOBREVIVEM”

  • Excelente texto, acho que o autor estava no limite ao escrever esse desabafo…ainda acho que falta ética entre os djs, antes de fazer algo “top” alguns djs deveriam pensar se gostariam que fizesse isso com eles.

  • Engraçado que em 5 anos há uma ênfase em busca referências de hits do passado, em diferentes estilos (inclusive fora da música eletrônica). Mas engraçado que esses hits do passado foram criados numa época cuja limitação de tecnologia fazia com que os artistas e produtores explorassem a criatividade e alma… Hoje em dia as pessoas só querem saber de tecnologia, de status… o público, em sua grande maioria, está mais preocupado em saber com qual atração de nome o DJ já “dividiu” espaço do que saber como se faz um DJ mesmo.. cada vez mais o estrelismo impera, do que a música. Fora a grande massa do estilo da modinha, que confunde DJ com Jukebox e cria segregação entre os estilos. Sou do tempo onde vários estilos na mesma noite promoviam uma interação entre diferentes públicos… onde a estrela principal era a música, combinada com arte visual.

    Rapaz, se seguirmos o raciocínio de que o que importa é o resultado porque as pessoas não querem saber qual mídia ou equipamento se utiliza, e tanto faz MK, CDJ ou VDJ… é dizer que playback é o mesmo que cantar…não é à toa que tem “DJ” que mixa todo o set previamente em casa e dá o play somente, fazendo caras e bocas… que nem o Zé Pedro… (aliás, já existia isso, antes dele…), assim como os Dead Acts… o fucktoy da Madonna ganhou inúmeras vezes mais de 20 mil dólares pra fazer isso em altos lugares do Brasil porque transformaram DJ em superstar e esqueceram de educar as pessoas com a estrela principal: a música. (Aliás, a música hj em dia é só um complemento pra que o público se chape e fique muito doido… ):

    O mal do mainstream é isso aí… a alma se perde e a ilusão ganha. Mas nem tudo está perdido

  • Nossa, que alívio, ja estava começando uma paranóia de que era o único a pensar assim. Dentre todas as verdade uma marcou mais no texto.

    “Colocar um fone de ouvidos na cabeça NÃO quer dizer que seja um DJ, logo, quem tem medo dos que não são, pode ser que também não seja.”

    Muitas vezes esquecemos de fazer a nossa parte e ficamos ai metendo o pau nos globais que aparecem no domingo brincando de ser DJ e culpando-os de nossos fracassos e frustrações.
    Jesus Luz chegou ontem, os problemas na cena já estão ai a décadas.

    Abraços!!

  • Estão de parabens belo texto!

    Gostei muito, Expresa direitinho o que acontece na cena!

    ABRAÇOS

  • TOPertandooplay

  • Amei o texto! Os Tops foram o máximo, lembrei de muitos “djs” que temos por aí kkkk Parabéns :)

  • Ótimo texto….

  • muito bom!muito bom!

  • Belo texto e expressa o sentimento de muita gente!

    abs

  • BAN – OBRIGADO PELO TEXTO, EXPRESSOU O SENTIMENTO DE MUITOS….

  • Excelente texto!! Concordo com a parte sobre o virtual DJ pois me incluo no exemplo. Desde muito cedo meu sonho era ser DJ, e naquela época DJ não tinha destaque nenhum e a grande maioria chamava de “discotecário”. Depois que fiquei “grandinho” e com o boomm da internet, tive acesso a mídias, informação, música, programas e, dente eles, o Virtual DJ. Aprendi muito com o programa e hoje evolui graças a ele e a minha dedicação. Estou muito longe de ser o DJ que gostaria, porém, tenho certeza que chegarei lá.

    Abraços para todos da DJ Ban!

  • Posso me aproveitar do seu post? Vou opinar como dj e como a postura deles pode ajudar a matar alguns problemas pré-estabelecidos com ações simples.

    Em primeiro lugar, não é favor nenhum pra vc; DJ, te colocarem no line up a não ser q vc encare desta forma. Isso é relação profissional, vc toca para o público da casa e a casa te paga por isso.

    Segundo: Não é sua obrigação ser promoter e lotar a balada, logo, se a balada não encher, a culpa não será sua e vc não ficará queimado por preguiça de terceiros.

    Terceiro: Brigamos por muitos anos por causa do preço abusivo do vinil importado, hj a música digital É BARATA! Não deixe o jeitinho brasileiro fazer parte da sua vida.

    Quarto: Dê valor ao q vc faz e ao q outros como vc tb fazem.

    Quinto: Seja um bom pista para ser um bom dj. Vc só terá feeling se souber aproveitar o feeling de outros djs.

    Sexto: Ouça música de todos os tipos e deixe de ser RASO! Se aprofunde!
    O caminho mais fácil para preguiçosos é este, SER SUPERFICIAL e tocar o q todo mundo já ouviu.

    Há algum tempo eu tento me livrar de td isso.
    Parabéns pelo texto Bunnys!

  • Belo Texto !! Adorei!!
    Bj

  • Leitura matinal…
    Gostei do texto achei portante pra mim, pois como ainda estou engatinhando na cena esse tipo de informação ajuda muito.

    Valeu.

  • como sempre… ótimo post ban!! consegue falar td q pensamos… sem enrolacao!!! td d “ban”, man!!

  • inacreditavel! li e re-li umas 3x, muito bom =]

  • Belissimo Post, a parte do a MODA É PAGAR CARO ? E OS INVESTIMENTOS QUE NÃO VOLTAM, TAL QUAL O CONTRATADO ? me identifico bastante, no Interior os Donos de Club´s ainda são um pouco pior que na capital! mais claro que não são todos..apenas os maus informados claro! Mais trabalharemos em prol da cena, independente das barreiras, e das informações e cultura que vem com deley das capitais! Trabalho para que isso seja cada vez menos por aqui! espero conseguir!

    DJ que é DJ faz dançar e acabou!!! Parabéns

    Rene M…Bragança Pta SP e Atiabaia SP

  • Curti geral esse texto, Bunnys. A realidade é bem essa atualmente… essas classes de “TOP” foi genial ehehahah

  • hahaha muito bacana o texto
    abs