Contatos: (11) 3142-9676 / 3257-8717 / WhatsApp: (11) 97485-5700 - Seg. à Sex. das 09h00 às 22h00 e Sáb. das 09h00 às 18h00.

HomeNotícias5 DJs que você não pode perder no 2º dia do EDC Brasil

5 DJs que você não pode perder no 2º dia do EDC Brasil

A cada semana que passa a ansiedade pra conferir a primeira edição do EDC – Electric Daisy Carnival no Brasil cresce! Nos dias 4 e 5 de dezembro o Autódromo de Interlagos vai abrigar o maior festival americano itinerante de música eletrônica e o público poderá conferir granes nomes da cena mundial! Todo dia vemos por aí notícias dos grandes gringos que vão tocar por aqui, mas e os nacionais? Você conhece?
Hoje selecionamos 5 artistas que vão se apresentar no segundo dia do evento e que você não pode perder!

CINARA

Com 10 anos de carreira, Cinara já se apresentou em vários estados brasileiros e trabalhou com a Agência Haute e casas conceituadas como Ballroom, Black Calvados (BC), Disco Club, Pacha SP, Heaven, Pink Elephant AP, Mokai SP e Royal SP.
Bicampeã do REDBULL THRE3STYLE (2014/2015), representou o Brasil no mundial em Baku – Azerbaijão em Setembro/2014, julgada por feras como Jazzy Jeff, Z-Trip, Shortkut e Scratch Bastid. Foi a primeira mulher na história do thre3style a chegar na finalíssima entre os 6.
Já dividiu palco com MV Bill, Mano Brown, Negra Li, Vanessa Jackson, Flora Matos, Karol Conka, Black Alien, Pulse 011, Leilah Moreno, Patricia Lissah, Hellen Lyu, Edi Rock, Mr Catra, Emicida, Projota, entre outros.
Em 2010, fez uma turnê pela Europa, foi residente no club “Reina Bruja” (Madrid) por um mês, na “The Moon e Deja Vu”, Serrano 41 e Bogui Club.

DJ MARKY

Marky começou a escrever sua história na década de 1980, e no início dos anos 1990 já era destaque na arte de mixar e entreter, sendo pioneiro em terras brasileiras com o Jungle e o Drum & Bass vindos do Reino Unido.
O trabalho inovador de Marky foi descoberto pelo inglês Bryan G num club em São Paulo, em 1998. Impressionado com sua técnica de scratches, Bryan arrumou uma turnê internacional para o brasileiro. Um ano depois, ele recebia em Londres o título de Melhor DJ Iniciante segundo os críticos ingleses, e foi eleito o melhor DJ do Brasil.
Seu álbum Brazilian Job foi um dos discos de Drum & Bass mais bem sucedidos à época de seu lançamento. A faixa LK – versão da músicaCarolina Carol Bela , de Jorge Ben Jor, composta por Marky e seu parceiro XRS – se tornou a grande responsável pelo estouro do Drum & bass nacional, e atingiu o 15º lugar no Top Chart Britânico.
O sucesso internacional de Marky está bem documentado e tem refletido na cena brasileira há mais de uma década. Sua habilidade e técnica conquistam fãs pelo mundo, e ele segue atraindo grandes públicos com sua personalidade e carisma. Hoje, o DJ fica pelo menos seis meses do ano em turnê tocando pelo mundo afora, e marca presença constante nos clubs Lions e Lab (ambos em São Paulo).

MARCELO CIC

Representando uma nova geração de DJs brasileiros, o talentoso Marcelo CIC começou a sua carreira de DJ precocemente aos 11 anos de idade, no Rio de Janeiro. Com o decorrer dos anos, CIC foi ouvindo e experimentando novas sonoridades, até chegar aos estilos ‘’house’’ e ‘’techno’’, que o consagraram no mercado da e-music no Brasil como um dos DJs mais promissores e atuantes da cena. Suas apresentações foram taxadas pela imprensa especializada, como vibrantes e muito técnicas, pois as mixagens são perfeitas e seu carisma é incomum.
Já dividiu a cabine com os principais nomes mundiais e nacionais, como Avicii, Calvin Harris, David Guetta, Steve Angello, Axwell, Fatboy Slim, Armin van Buuren, Alesso, Hardwell, Nicky Romero, Martin Garrix, Skrillex, Diplo e Steve Aoki. Consolidado pelo público nas pistas e por onde passa, Marcelo CIC tem seu trabalho reconhecido pelas mais importantes revistas de música eletrônica, como a DJ Mag, Mixmag e DJ Sound e premiado como ‘’Melhor Produtor de Música Eletrônica’’ e indicado como DJ revelação no Cool Awards, prêmio promovido pela conceituada revista CoolMagazine, além de dedicar-se ao trabalho em seu estúdio, com mais de 50 lançamentos no mercado fonográfico. Recentemente assinou contrato com a gigante do mundo da música, Universal Music. CIC trabalha em uma nova fase da sua carreira, produzindo novas músicas para seu DEBUT album e novos projetos.

NEDU LOPES

Com 20 anos de carreira e mundialmente reconhecido por sua técnica e versatilidade, Nedu Lopes é DJ, produtor musical, professor do Curso de DJ Nível III na DJBan, tri-campeão brasileiro (2010 / 2011 / 2012), vice-campeão mundial em 2010, 3º lugar mundial em 2011 e vice-campeão mundial em 2012 do Red Bull Thre3Style. Ufa! É muito título, minha gente!
Radicado em São Paulo, Nedu Lopes nasceu em Belo Horizonte[1] e já discotecou nos principais clubes do circuito eletrônico de sua cidade natal, além de festivais como o Sónar, Creamfields, Xxxperience, Eletronika Telemig Celular, BPM, e muitos outros. Em 2003, ainda em Belo Horizonte, Nedu Lopes recebeu o prêmio de melhor DJ de Electro/Breaks de Belo Horizonte pela Premiere. E em 2006 o Prêmio Mineiro da Música Independente, na categoria Eletrônico.

VINTAGE CULTURE

Lukas Ruiz é nome por trás de Vintage Culture. O projeto tem fortes influências de sonoridades antigas, grupos como Depeche Mode, New Order, Petshop Boys. A ideia do projeto é misturar o novo com o velho, essa mistura traz um som com uma pegada única.
Egito, França, Rússia, África do Sul, Inglaterra, Sri Lanka, Canadá, Ibiza, Turquia, Taiti, Australia, Brasil… De repente, o mundo ficou menor. As mais diversas fronteiras foram ultrapassadas e as mais diferentes culturas, unidas.
Essa é a história da ascensão meteórica do jovem artista Vintage Culture que, com sua música, em menos tempo do que se comemora um novo ano, conquistou o mundo. Uma jornada que está apenas começando, onde os questionamentos ainda predominam e no lugar de respostas, sensibilidade. A mesma que conectou tantas pessoas, em tantos lugares, transformando a realidade em música e a música em realidade: House Music é uma linguagem universal falada e entendida por todos.

Facebook Comments

Written by

Camila Giamelaro é formada em publicidade, criou o blog Caixa Direita, colaborou com sites e revistas como House Mag, Phouse, Psicodelia.org e DJ Music, foi Coordenadora de Mídias Sociais e editora do blog da DJ Ban Hoje atua como professora de Imagem e Comunicação para Artistas na DJ Ban e está a frente da agência GIG, uma agência dedicada ao mercado de música eletrônica que trabalhou com clientes como Pioneer DJ, Warung Tour São Paulo, D-Nox, Boris Brejcha, entre outros. Também é DJ e produtora musical da dupla Binaryh.