Contatos: (11) 3142-9676 / 3257-8717 / WhatsApp: (11) 97485-5700 - Seg. à Sex. das 09h00 às 22h00 e Sáb. das 09h00 às 18h00.

SC System: Stanton levanta do túmulo e revoluciona o mercado de DJs

Stanton levanta do túmulo e revela o SC System Neste fim de semana começa a NAMM 2008, o grande evento onde os fabricantes de equipamentos de áudio revelam suas novidades para o ano. E é justamente agora que eu volto das minhas férias e começo a trazer as novidades.

A primeira fica por conta da Stanton, que revela o tal produto que fez ela abandonar o Final Scratch 2: o Stanton SC System.

Se você é DJ profissional ou amador, e independente do que você usa, vinil, CDs, mp3, vale muito a pena conferir este lançamento, pois estamos falando de algo que vai ser um grande passo na forma como se toca, diferente de tudo que já saiu até hoje. Que entender o motivo?

Ano passado, quando a Stanton detonou de vez o Final Scratch 2, ela o fez porque supostamente iria lançar um produto revolucionário. 2007 passou e ela ficou morta em seu canto, sem lançar absolutamente nada. Pra mim, a Stanton já era passado.

A NAMM 2008 começa amanhã. Ano passado foi o ano dos controladores midi, com soluções vindas de todos os lados, como já vimos aqui no Submusica. Mas o fato é, todas as soluções vieram de novos e pequenos fabricantes, ou então do pessoal que fabrica instrumentos para produção de áudio, como a M-Audio. As únicas exceções foram a Vestax e a Numark.

A Stanton resolveu esperar todos arrebentarem a cara e entrou de sola com um equipamento, que, nas palavras dela, “ao contrário dos outros controladores pra DJ, ela oferece qualidade de construção profissional, sem comprometimentos. Cada knob, fader, led e tela de lcd utilizam componentes de qualidade, e mesmo a carcaça é desenhada para suportar anos de uso exigente na vida real, tanto em estúdio como ao vivo”.

“Enter The System” lembra o “Enter The Matrix”

O site oficial do SC System responde no endereço www.enterthesystem.com, que me faz lembrar o velho e bom “Enter The Matrix”. Ao mesmo tempo que quer dizer “apresentando a Matrix”, também quer dizer “entre na Matrix”. E o caso aqui é: este é O sistema.

Stanton: entre no sistema. Note que usaram um laptop Acer, o mais popular entre os DJs no momento
Stanton: entre no sistema. Note que usaram um laptop Acer, o mais popular entre os DJs no momento

O sistema consiste em dois módulos, 100% midi. O primeiro chama-se SCS.1M, e substitui o mixer, e o segundo é um deck virtual com um prato de vinil motorizado (giratório), que pode ser usado para controlar mais de 1 deck, o SCS.1D.

SCS.1M, o mixer midi

O SCS-1M é um controlador em forma de mixer, com áudio firewire profissional — se for igual ao do ScratchAmp do Final Scratch 2, vai deixar toda a concorrência no chinelo. Além de oferecer inúmeros controles que você pode mapear livremente ao gosto do freguês, ele também tem entradas e saídas para as necessidades do seu estúdio.

O módulo principal do sistema, o controlador em forma de mixer, SCS-1M
O módulo principal do sistema, o controlador em forma de mixer, SCS.1M

Possui controles totalmente flexíveis e adequados para trabalho com software. Por exemplo: os knobs são do tipos de voltas infinitas, ou seja, eles giram 360 graus. A posição deles é marcada por leds. Isso acaba com aquela pentelhação de ter que acertar a posição dos knobs com o que está na tela do software, comum em todos os controladores do mercado.

• Primeiro mixer 100% dedicado a DJs digitais e mobile
• 4 canais com knobs e leds de volume similares aos mixers analógicos
• Encoders com knobs de 360 graus de mapeamento livre
• Telas de LCD para a seção de encoders
• Mapeamento fácil para a maioria dos programas de DJing e VJing
• Seção de navegação para escolha de músicas e arquivos
• Entradas de microfone, line in e phono, para uso nos mixes e conversão digital
• Som firewire compatível com Mac e Windows
• Pode ser usado sozinho ou em conjunto com o deck SCS.1D
• Saídas TRS balanceadas para o PA, saída RCA estéreo para o retorno (booth) e plug de 1/4″ para fones de ouvido
• Entrada para controlador de pedais midi

Controles midi:
• 24 Potenciometros (MIDI CC)
• 37 botões de iluminação temporária (MIDI Note On)
• 4 knobs “virtuais” 360 graus com 18 LEDs cada (MIDI CC ou Incremental CC)
• 4 faders de 45mm (MIDI CC)
• 1 crossfader de 45mm (MIDI CC)
• 1 codificador rotacional (MIDI CC ou Incremental CC)

Painéis (displays)
• 4 painéis LCD multi-coloridos e alfa-numéricos, com 8 caracteres de resolução e controle de contraste (controláveis via MIDI SysEX)
• 6 medidores de led de 9 segmentos. Um para cada canal e um par para a saída master (L & R), tudo controlável por MIDI

Dimensões
• 2,71 kg
• 10.75″ x 3″ x 16.75″ (LAP)

SCS.1D, o deck virtual com disco de vinil motorizado

O SCS.1D é um deck virtual, que usa um chassis e formato parecido com os atuais CDJs da Stanton. A diferença é que ele é totalmente MIDI, mas possui um prato motorizado, que utiliza um disco de vinil de verdade para controle dos scratches, no tamanho 10 polegadas — algo que eu acho perfeito para a finalidade: nem muito grande, nem muito pequeno.

O SCS.1D, diferente do seu irmão SCS.1M, não tem placa de som. Ele é apenas controlador midi, mas que oferece o esquema de controle mais preciso do mercado. Ele possui um pitch motorizado, que acompanha as modificações feitas via software, e que se ajusta automaticamente conforme o deck que você selecionou.

Imagine que você está usando apenas um deck SCS.1D para controlar as músicas dos players A (cujo pitch está no +3%) e B (cujo pitch está em +1%). Ao usar um pedal para mudar qual player você está comandando, o slider do pitch vai automaticamente para a posição correta, do +3% para o +1% (se você mudou o controle do player A para o B).

SCS.1D: simplesmente o melhor controlador midi já inventado até o momento. Vamos ver como fica na prática
SCS.1D: simplesmente o melhor controlador midi já inventado até o momento. Vamos ver como fica na prática

O deck é bastante completo e promissor. Pode ser o acessório ideal pra quem já possui um belo mixer e um par de decks em casa, e quer apenas colocar o laptop pra tocar junto, já que ele pode ser usado com qualquer programa que suporte midi (Traktor, Virtual DJ, Mixvibes, Deckadance, etc), e que pode ser usado com qualquer placa de som (com um pouco de latência se você usar o som onboard do seu computador, claro).

Vamos às especificações:

• Primeiro deck motorizado totalmente midi e compatível com qualquer programa de DJing ou VJing
• Prato motorizado de alto torque de 10″ e com superfície de vinil
• Pitch motorizado de 100mm que se ajusta para se manter em sincronia com o software
• Pads com sensibilidade de velocidade para disparo de samples e quick cues
• Encoders com knobs de 360 graus de mapeamento livre
• Telas de LCD para a seção de encoders
• Seção de transporte da música com controles tradicionais (play, pause, etc)
• Permite controlar mais de um deck ao mesmo

Controles midi:
• 4 knobs “virtuais” 360 graus com 18 LEDs cada (MIDI CC ou Incremental CC)
• 1 fader motorizado de 100mm (MIDI CC)

Botões e chaves
• 4 pads de trigger com sensibilidade de velocidade (MIDI Note On)
• 46 botões de iluminação temporária (MIDI Note On)

Painéis (displays)
• 4 painéis LCD multi-coloridos e alfa-numéricos, com 8 caracteres de resolução e controle de contraste (controláveis via MIDI SysEX)
• 1 display de posição do cue, com o indicador do deck controlado atualmente (MIDI SysEX controllable)

Dimensões
• 6,29 kg
• 16,75″ x 3,25″ x 14,5″ (LAP)

Prato motorizado:
• Tipo de motor: 16 poles, 3 phases, sem escovas
• Velocidades: 33 1/3 ou 45 rpm
• Torque: >4.5 kgf/cm
• Tempo de start: 0,2 seg
• Tempo de break: 0,2 seg

Flexiblidade na hora de montar o seu estúdio

Essas são as primeiras peças do sistema SC da Stanton. Provavelmente vem mais por aí, mas o grande legal do projeto (que está há 4 anos no forno) é que você tem fexlibilidade total para comprar somente as peças que precisa e integrar totalmente ao setup do seu estúdio. Veja alguns exemplos:

O SC System permite que qualquer DJ ingresse no mundo midi da maneira que achar melhor
O SC System permite que qualquer DJ ingresse no mundo midi da maneira que achar melhor

Realmente se enquadra em qualquer setup, conforme o gosto do freguês. E permite que o DJ faça uma transição suave pro mundo digital, sem ter que vender tudo de uma vez e comprar tudo de uma vez — isso é, se ele realmente quiser migrar 100% pro mundo digital.

Conclusão: agora sim, temos um fabricante pegando no batente

Até então, só nomes menores fizeram as coisas acontecerem até agora. A Stanton, fabricante do qual ainda guardo uma certa mágoa pelo que fizeram com o Final Scratch 2, mostra que pensou bem no que estava fazendo e entregou um pacote bastante promissor.

Isso mostra uma análise que já tinha feito nos comentários da notícia sobre o CDJ-400, e mostra bem que a coisa vai caminhando para o que o Memê profetizou aqui no Submusica, na entrevista que ele nos deu ano passado: estamos ainda num perído de transição, onde os grandes fabricantes ainda vão entrar nesse mercado de MIDI, e muita coisa há de mudar.

Se o SC System entregar o que está sendo prometido, ele é um forte concorrente a colocar de novo o nome da Stanton na história da mudança de como os DJs trabalham. Ela fez isso no passado com o Final Scratch, e tem tudo pra fazer com o SC System.

Porém, este é um mercado competitivo, onde se você der mole, ser pioneiro não adianta muito — vide que hoje a referência em simuladores de vinil é o atrasado Serato Scratch Live, da Rane/Serato.

Eu acredito na visão do Memê que, no final, vamos ter apenas uma “caixa”, onde você joga seus arquivos e faz tudo nela, sem conectar cabos, computadores, parafernálias, e etc. O iDJ2 foi um grande passo nesse sentido, e o SC System, apesar de depender de um laptop, permite que um DJ tenha um sistema mais integrado, e sem aquela pinta de “brinquedo” que os outros controladores têm até agora.

Talvez o melhor desse sistema é que você pode ingressar aos poucos. Eu vou observar mais um pouco, mas acredito que, hoje, dia 17 de janeiro de 2008, eu montaria um setup em casa composto de 2 decks SCS.1D com um SCS.1M, e um laptop. Ou então apenas um SCS.1M e um par de Technics MK2 com o Conectiv ou o Traktor Scratch, caso eu ainda prefira usar os pouco vinis que ainda me restam — mas é pouco provável, pois é uma solução bem cara.

Pra mim o mais legal é que, no meu caso, onde trabalho 100% com arquivos digitais, o SCS.1M matou mixers elaborados como o DJM700 e DJM-800.

Ainda pretendo passar meu Xponent pra frente (depois de fazer um review mais completo) e pegar um iDJ2 da Numark. Depois, quem sabe não vou pro SC System da Stanton. Temos que esperar, pois o mercado está em constante mutação.

O fato é, quem está preso ao vinil ou ao CDJ está com os dias contados, não adianta chorar. É como tentar pegar um emprego sem saber mexer em um computador e no MS Office…

Para saber mais, visite o site: www.enterthesystem.com

Compartilhe este post:



Pesquise no Blog:



Categorias do Blog



Conheça a Ban em um minuto